Extinção dos dinossauros pode ter sido causada por erupções vulcânicas

vulcaodinos
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Foto: Lauro Salinas/Associated Press

A maioria das pesquisas diz que cerca de 66 milhões de anos atrás, um asteroide de aproximadamente 10 km de diâmetro atingiu a atual Península de Yucatán, no México, formando a cratera de Chicxulub e destruindo instantaneamente parte expressiva da litosfera e provocando o bloqueio da passagem da luz solar pela atmosfera por muitos anos. Isso teria causado a extinção dos dinossauros e fez com que a vida no planeta se reorganizasse de forma drástica, facilitando o desenvolvimento dos mamíferos, que culminaram, mais de 60 milhões de anos depois, na espécie humana.

Leia também:
Restaurador danifica ao menos 10 mosaicos de 2500 anos na Turquia

No entanto, a história pode ter sido um pouco diferente. Liderado por Mark Richards, um grupo de cientistas da Universidade de Berkeley desenvolveu uma nova teoria para a extinção dos dinossauros: em estudo divulgado no Boletim da Sociedade Geológica dos EUA, eles mostram que a queda do asteroide desencadeou intensa atividade vulcânica no planeta e que a soma dos eventos pode ter sido determinante para a extinção dos dinossauros.

De quebra, a descoberta ainda ajudou dois grupos de pesquisas com teorias distintas à respeito do tema se aproximarem de um consenso, segundo o site San Francisco Gate.Analisando depósitos de resíduos vulcânicos nas Deccan Traps, que ficam na Índia, o grupo de Richards mostrou que o impacto do asteróide que formou a cratera de Chicxulub foi tão forte que promoveu um dos mais intensos períodos de atividade vulcânica da história da Terra. Para se ter ideia, o volume de magma expelido nesse período seria suficiente para cobrir todo o estado de Minas Gerais com 1 Km de lava.

Essa teoria se aproxima da opinião da professora de Princeton Gerta Keller, que já propõe há muito tempo que os vulcões foram determinantes no evento que delimita o “limite KT”, a passagem do período Cretáceo para o Terciário.”Obviamente, estou muito contente que a equipe de Berkeley está finalmente aceitando o vulcanismo da região de Deccan como variável crítica na extinção em massa do período. É um passo na direção certa”, disse a pesquisadora por e-mail para o San Francisco Gate.

Também participaram do estudo, na equipe de Richards, Paul Renne, geólogo especialista em datação da crosta terrestre, e Walter Alvarez, que formulou com seu pai Luís Alvarez, há 25 anos atrás, a teoria que vincula a extinção dos dinossauros ao impacto do asteróide na Península de Yucatan. (A pauta e o texto do post para o Vi na Internet foram publicados por @leorossatto)

Siga o Vi na Internet no Twitter: @vi_na_internet

Charles

Jornalista desde 2001. Já cobriu Economia, Meio Ambiente e Tecnologia, com passagem pela Agência USP de Notícias, jornal DCI, MSN, UOL e Yahoo. Já foi correspondente internacional do site Opera Mundi. Mestre em Jornalismo pela USP, dá aula sobre Informação e Novas Mídias na ECA/USP e é fascinado pelas novidades que aparecem na internet.

Comentários

Pin It on Pinterest

Share This